7 coisas que você não sabia sobre “A lagoa azul”

Muitos filmes escondem algumas coisas que somente anos mais tarde são descobertos. Confira:

Possivelmente, todo nascido nos anos 90, já ouviu falar  ou assistiu ao filme “A lagoa Azul”.
Passava quase toda a semana na sessão da tarde, e foi o primeiro romance assistido por muitos na tv aberta.
Mas sabia que mesmo sendo um filme muito assistido, ainda esconde algumas coisas.
Confira, 7 coisas que provavelmente nunca ouvir falar sobre A lagoa azul.

A lagoa azul (original 1980)

1-Ele não é original dos cinemas
O que todo mundo pensa é que “A lagoa azul” saiu algum roteiro diretamente dos cinemas.
Mas, na verdade não. O filme é baseado na obra literária de Henry de Vere Stacpoole. 
2- O livro já tinha sido adaptado duas vezes antes de 1980
Isso mesmo, pensávamos que já tinha muitas versões. Agora descobrimos que existem mais ainda.
A primeira adaptação foi no ano de 1923, um filme mudo dirigido por W. Bowden. A segunda, foi em 1949 dirigido por Frank Launder.
Porém, nem uma das duas versões ficou tão conhecida quanto a do ano de 1980, dirigida pelo Randal Kleiser.
3- Escondendo o corpo de Broke
Como podemos lembrar, o filme conta com algumas cenas bem sensuais.
Porém, a atriz Broke Shields que interpretava Emmeline. Tinha somente 14 anos na época. Por esse motivo, os produtores tinham que ficar escondendo o corpo da jovem, já que quase todas as cenas ela estava de topless.
O melhor método que encontraram foi colocar o longo cabelo dá atriz, sempre em frente aos seios.  
4- Polêmica com a idade de Broke
Nos anos 80, a idade de Broke Shields foi uma grande polêmica. Discutida por muitos sobre a sensualidade do filme.
Anos mais tarde, a atriz comentou que jamais se sentiu incomodada com as gravações, e que haviam dubles de corpos para as cenas mais calientes.
5- Uma espécie nova de iguana foi encontrada
Quando os filmes estavam nos cinemas, um herpetologista que estava assistindo percebeu algo diferente com um dos animais apresentados. E depois de alguns estudos denotou que a espécie não estava catalogado.
Então John Gibbons viajou até a ilha e confirmou que era uma nova espécie de iguana. Graças ao filme, o animal viria a ser encontrado e catalogado.
6- Lugar perfeito
O diretor estava muito preocupado com a autenticidade do seu filme, por tanto decidiu levar toda a produção diretamente para uma ilha deserta na região de Fiji.
Logo, toda a produção teve que viver praticamente igual os dois personagens do filme. Já que naquela ilha, não haviam estradas, luz elétrica e nem água encanada.
7- Amor durante as gravações
Rolou um lance entre os dois atores devido ao longo tempo que passavam juntos na ilha.
Mas, não durou muito tempo, pois o ator Christopher Atkins acabava ficando tão focado em seu personagem que ficava muito tempo isolado de todos na ilha.
Tecnologia do Blogger.